28 de set de 2009

Outubro Cultural em Porto Velho

Vem aí um outubro cheio de eventos culturais, com direito a shows de bandas consagradas no cenário, (re)lançamento de outras, e oportunidades praqueles que querem mostrar o que fazem de bom e tentar assim conquistar o seu espaço.

A Cesta Cultural do SESC, que já contou com apresentações de bandas conhecidas do público rocker portovelhense, como Recato e Odisséia, apresentará agora nos dias 09 e 30 de Outubro, respectivamente, duas outras bandas: Ultimato e Rud & Uscaba. O primeiro, que rolará a partir das 20h30, custará o preço simbólico de 2 kg de arroz. Já a Cesta do dia 30, que vai ter a apresentação de Rud & Uscaba, vai ter entrada a R$10 a inteira e R$5 a meia, começando também às 20h30.

Já na semana seguinte à primeira Cesta Cultural, vai rolar o Rock no Lacerda, onde se apresentarão as bandas Bicho du Lodo e a nova formação da banda Foxy. A última, que não se apresenta ao público há mais ou menos três anos, fará um show com vários covers de bandas como Led Zeppelin e Deep Purple, ou seja, Rock n' Roll garantido! O evento rolará na Galeria Lacerda, que fica na Av. 7 de setembro, no dia 17/10 e custará R$ 5,00.

Pra quem não puder conferir a Cesta Cultural, nos seus dois dias, ou o Rock no Lacerda, acessem o site da web rádio PVH C.A.O.S., que transmitirá os eventos na íntegra.
E pra você aí, que tem a sua banda ou quer mostrar o seu trabalho solo, até o dia 06/10 estará rolando as inscrições para a I Mostra Rondônia de Música Universitária. No evento, que visa estimular a criação e a expressão musical, integrar a comunidade universitária e lançar novos talentos, poderão inscrever-se discentes de graduação ou pós-graduação, técnicos administrativos e docentes das instituições de ensino superior do Estado de Rondônia. Maiores informações através do Regulamento presente no site da UNIR.
Por: Laís Molitor

24 de set de 2009

Demanda gera? Grupo de Trabalho!

Grupo de Trabalho de Comunicação

No terceiro dia de Congresso, destacou-se a ação dentro dos GT's. O de Comunicação por exemplo propôs metas e datas além de colocar pelo menos inicialmente certos projetos pra frente. Um exemplo, que pude vive-lo pessoalmente foi desenvolver uma roteiro de entrevista para a WebTV Fora do Eixo com a palestrante do dia, Ana Carla, e mais tarde executa-lo. Dentro disso uma idéia se expandiu e passaremos a entrevistar os Coletivos presentes, como forma não só de conhece-los e mostra-los, mas também de mapeá-los.

Outro ponto positivo foi a palestra de Ana Carla, cujos conhecimentos em marketing e identidade, economia da cultura, economia criativa, indústrias criativas, cultura e desenvolvimento, negócios sustentáveis, políticas públicas nos nortearam na tentativa de encontrar saidas pra tão visceral sutentabilidade. Destaca-se aqui a fala da palestrante no sentido de nos mostrar o tamanho que nossas ações podem alcançar, na definição de Pablo Capilé essa palestra nos mostraria quem somos, Ana Carla determina "Cultura é apenas um recorte do que fazemos, estamos trabalhando pra o crescimento e melhoria de pessoas".

A noite seguiu com a programção dos Pocket Shows, onde pode-se ouvir "Ana e Os Lobos" entre outros.

A Programação de palestras pode ser conferida ao vivo pela Webtv Fora do Eixo. Acompanhe!
Por: Bruna Cruz

22 de set de 2009

A Palavra de Ordem é Sustentabilidade, como? Através da Economia Solidária.

Prof. Shimbo em ação!

No segundo dia de Congresso Fora do Eixo já havia um caminho previamente pavimentado pra tocar em um dos assuntos mais esperados e pertinentes para todos os coletivos. A sustentabilidade, ou seja como os agentes podem pensar em se manter e manter suas cadeias de projetos, nesse sentido vários paradigmas foram modificados e muitos estímulos foram criados. "Provocar" foi outra palavra muito usada, e particularmente executada por Ioshiaqui Shimbo, professor de engenharia da Universidade Federal de São Carlos, que também coordena o grupo HABIS (pesquisa e sustentabilidade), que literalmente nos deu aula sobre empreendimentos Culturais/Solidários. Uma das primeiras falas do Prof. Shimbo foi esclarecedora "Todos vocês lidam com economia, e é solidária pelo seu DNA, pelo fato de terem COLETIVO no nome".

A partir dai um explicação minuciosa de como reger esse modo tão peculiar de empreendimento se seguiu. Shimbo já havia assistido as apresentações do Coletivos presentes e separado temas que seriam comuns a todos. Interessante o fato de sempre enfatizar a durabilidade, a continuidade dos trabalhos, mostrando formas diferentes de se ver e pensar economia. Foi nos mostrado desde projetos de ação, como também nos foi apresentado até uma nomenclatura nova. Nas apresentações dos congressistas era comum se ressaltar o número de agentes no "núcleo duro", para se referir ás pessoas que eram mais presentes nas ações dos coletivos, Shimbo ressalvou que o nome mais coerente seria núcleo durável, visando justamente a continuidade do desenvolvimento de trabalhos. E a explanação seguiu nesse viés e os presentes tiraram dúvidas e também provocaram perguntas que certamente os agentes levarão para serem respondidas na prática em suas localidades.

Participação nos Grupos de Trabalho

Os grupos de trabalho se dividiram em Comunicação, Circulação, Distribuição e Sustentabilidade, os agentes rondonienses se reuniram no "GT" de comunicação e lá se subdividiram em WebTV e Webrádio. A Proposta de um grupo de trabalho logo após a palestra que foi ao mesmo tempo injeção de ânimo, foi muito bem-vinda, as discussões logo se tornaram encaminhamentos e a ação logo se fez presente. Os demais grupos de trabalho junto, é claro com o de comunicação, compartilharam suas discussões e resultados para todos os demais congressistas pra que ninguém ficasse desprivilegiado de informações. A noite se complementa com mais pontuações do Prof. Shimbo seguidas da programação de Pocket Show tal qual a noite passada. E agora nesse exato momento ás 01:17h todos os congressistas seguem fritando idéias, fazendo reuniões em ritmo claro, não é possível e ninguém quer parar.
Por: Bruna Cruz

21 de set de 2009

Diário de Bordo: II Congresso Fora do Eixo - 1° Parte

Coletivos trabalhando no Amazônia Eventos, onde todos estão hospedados.

O II Congresso Fora do Eixo começou semanas antes para a maioria dos coletivos envolvidos.Para Rondônia e seu recém criado Circuito não foi diferente, por ocasião dos trabalhos de base para apresentar e englobar ao processo o récem criado FDE-RO. Os esforços acabaram se somando à bem-vinda queda do céu de Felipe Dandoline e André Barbosa do Sindicatto de Harcore do Extremo Oeste (SHCEO) que além de terem passado um dia em Porto Velho junto com membros do Raio q Uparta, nos falaram da proposta que os levou a participar do Congresso: A Criação do Hardcore Fora do Eixo, que entusiasmou por tratar de um tema e um segmento tão presente em Rondônia com os princípios de coletividade e cooperativismo que impulsionam a rede. Os agentes que estavam presentes representando Rondônia logo encontraram seus lugares, eu, Bruna, ocupei luga junto à WebTV Fora do Eixo, na tentativa de obter e repassar tecnologia nesse quesito, e Paula Cortez, que também faz parte da webrádio PVH Caos, foi recrutada para o Portal Fora do Eixo.

A Apresentação "Informal"

Já que tínhamos a tarde sem programação prevista resolveu-se fazer uma apresentação geral dos coletivos que já se encontravam na capital acreana. Os 16 explanaram sobre suas respectivas cenas, trabalhos, projetos e dificuldades. Puderam ser vistos vários pontos em comum. A maioria dos coletivos surgiu de uma inconformidade com as cenas musical/cultural de suas cidades tanto os com maior bancada e tempo de trabalho quanto os mais recentes, outro ponto convergente é a visão empreendedora dos agentes dos coletivos. Os projetos nesse sentido envolviam desde trabalhos ligados a confecção de camisetas, a ligação íntima com a criação de moda, o Massa Coletiva por exemplo possui um núcleo forte de Comunicação que compreende inclusive trabalhos de desenvolvimento de Software Livre.
O Lançamento do Congresso

Logo após esse pequeno reconhecimento, fomos rapidamente encaminhados ao Lançamento do II Congresso FDE, onde foi dada largada oficial ao evento. O coquetel seguido seguido do show Horto Florestal com bandas de Rio Branco, aconteceu no Porto Florestal, lugar arborizado destinado á vários fins e onde é, inclusive, a sede da secretaria do Meio Ambiente

Nessa programação houve ainda as apresentações das regionais do Circuito. Heluana Quintas, responsável pela regional Norte, ressaltou a importancia estratégica e geográfica de se ter o Congresso realizado numa cidade nortista. E os demais falaram do prazer e do aprendizado que poderia ser obtido nessa semana inteira de uma praticamente imersão no debate dos rumos da cultura brasileira.

Por: Bruna Cruz

20 de set de 2009

Digitos Vence Competição de Bandas na 2ª Festa do Estudante

A banda Dígitos, que participou do X Festival Casarão, venceu a competição entre bandas da 2ª Festa do Estudante, que, entre outras atrações, contou também com oito bandas, entre elas PHC, Mendel, Piratas do Madeira e Kilowatts. O evento, que aconteceu no último 11 de Setembro, foi realizado pela UEES no Clube Ypiranga e sua entrada foi um quilo de alimento não-perecível, que foi doada a famílias carentes de Porto Velho.

Confira vídeo da música 'Sua Escolha', gravado ao vivo na ocasião.


Por: Ramon Alves

17 de set de 2009

Circuito Rondoniense de Música Independente agora é Fora do Eixo Rondônia

Após o primeiro passo dado com a criação do Circuito Rondoniense de Música Independente, que engloba os coletivos rondonienses Raio Q Uparta, PVH Caos, Interior Alternativo e Vilhena Rock, foi decidida a mudança da chancela para Fora do Eixo Rondônia em uma reunião on-line extraordinária ocorrida nesta segunda-feira, 14.

O consenso geral é que se trata de uma mudança que trará bons frutos, garantindo mais autonomia e suporte ao circuito. Bruna Cruz, do Raio Q Uparta, e que também esteve presente na reunião, ressaltou que “O fato de mudar a chancela de regional (CRMI) para algo nacional (FDE – RO) nos proporciona força e sustentação para alcançar objetivos maiores. Isso inclui também um maior apelo junto ao poder público e à entidades privadas.”
Por: Ramon Alves

16 de set de 2009

Programação Festival Varadouro

O Festival Varadouro, que está na sua quinta edição, irá contar nesse ano com três bandas de Rondônia integrando a sua programação. Nas Prévias do Festival, se apresentarão Ultmato e Bicho du Lodo, enquanto o Festival irá contar com o show da banda Soda Acústica, que estará apresentando o seu auto-intitulado CD novo.

Programação do Festival Varadouro 2009

Sexta 25/09

20h00 - Soda Acústica (RO)
20h40 - Capuccino Jack (AC)
21h20 - Devotos (PE)
22h00 - Caldo de Piaba (AC)
22h40 - Plano Próximo (SP)
23h20 - La mente (Peru)
00h00 - Mapinguarí Blues (AC)

Sábado 26/09

20h00 - Sps12 (AP)
20h40 - Grupo Capú (AC)
21h20 - Guizado (SP)
22h00 - Camundogs (AC)
22h40 - Mostruo (Argentina)
23h20 - Cidadão Instigado (CE)
00h00 - Los Porongas (AC)

Domingo 27/09

20h00 - Caro John (Interior) (AC)
20h40 - Floresta Sonora (PA)
21h20 - Nicles (AC)
22h00 - Trilobit (PR)
22h40 - Filomedusa (AC)
23h20 - Curumin (SP)
00h00 - Moveis Coloniais de Acajú (DF)
Por: Ramon Alves

15 de set de 2009

II Congresso Fora do Eixo Conta com Agentes Rondonienses

O Coletivo de Comunicação Raio Q Uparta confirmou sua participação no II Congresso Fora do Eixo, ao lado da Webrádio PVH Caos. É importante ressaltar que esses dois agentes irão representar o recém-inaugurado Fora do Eixo Rondônia no Congresso.

O Congresso acontecerá de 21 a 27 de setembro, em Rio Branco. A ocasião contará com a participação de consultores convidados e agentes culturais de todo o país. Ao final será realizada uma conferência livre com vistas à CNC (Conferência Nacional de Cultura).

O evento, nos seus sete dias de extensão, irá envolver debates sobre temas ligados ao universo da música independente brasileira, entre eles, conomia criativa, artista e mercado musical, tecnologia social, empreendedorismo e economia solidária. Ao fim do encontro, a Conferência Nacional de Cultura será realizada (ver programação abaixo).

Programação Completa


Segunda-feira (21/09) – “Lançamento do Congresso”

19:00
Mesa com as regionais do CFE para abertura
Coquetel de Lançamento

Terça feira (22/09) – “Tecnologia Social e Arranjos produtivos culturais”

9:00 às 12:00
Apresentação dos Coletivos por regionais.
Orientador Marcus Franchi – análise dos cases e proposições.

14:00 às 17:00
Apresentação dos Coletivos por regionais.
Orientador Marcus Franchi – análise dos cases e proposições.

18:00 às 20:00
Início dos Gt´s (Portal fora do eixo / Agência Fora do eixo / Fora do Eixo Discos / Festival Fora do Eixo / Fora do Eixo card)

20:00 – Show Orto Florestal
Som da madeira
Heloy de Castro
Álamo Kário
Discotecagem Radiofônica Independência ou Marte

Quarta-feira (23/09) – “Economia Criativa”

9:00 às 13:0
Início dos Gt´s (Portal fora do eixo / Agência Fora do eixo / Fora do Eixo Discos / Festival Fora do Eixo / Fora do Eixo card)

14:00 às 17:00
Orientação Ana Carla – análise dos cases e proposições
Apresentação dos Coletivos por regionais

18:00 às 20:00
Orientação Ana Carla – análise dos cases e proposições
Apresentação dos Coletivos por regionais

20:00 - Show Parque Capitão Siríaco
Ana e os Lobos
Bichu du Lodo RO
Durango kid
Discotecagem Radiofônica Independência ou Marte

Quinta-feira (24/09) – “Economia Solidária”

9:00 às 13:00
Orientador Shimbo (Incoop) com análise de cases e proposições.
Apresentação dos Coletivos por regionais

14:00 às 17:00
Orientador Shimbo (Incoop) com análise de cases e proposições.
Apresentação dos Coletivos por regionais

18:00 às 20:00
Início dos Gt´s (Portal fora do eixo / Agência Fora do eixo / Fora do Eixo Discos / Festival Fora do Eixo / Fora do Eixo card)

20:00 – Show Parque Capitão Siríaco
Di Menor e B-boys (Hip-Hop)
Ultimato (RO)
Macaco Bong (MT)
Dj StereoTóxico

Sexta-feira (25/09) – “Artista e o Mercado musical”

9:00 às 13:00
Orientação Fabricio Nobre e Sérgio Ugeda com análise de cases e proposições
Apresentação dos Coletivos por regionais

14:00 às 17:00
Orientação Fabricio Nobre e Sérgio Ugeda com análise de cases e proposições
Apresentação dos Coletivos por regionais

18:00 às 20:00
Início dos Gt´s (Portal fora do eixo / Agência Fora do eixo / Fora do Eixo Discos / Festival Fora do Eixo / Fora do Eixo card)

20:00 – Show Festival Varadouro

Sábado (26/09) – “Plenária Final – Apresentação de propostas e trabalhos para o CFE”

14:00 às 18:00
Apresentação de propostas, teses e artigos para o CFE – Rachel (Massa – SP) e Felipe Dandolini (Sindicatto – MT)
Apresentação do plano de trabalho dos Gt´s
Deliberações e encaminhamentos gerais acerca de todas as discussões e propostas realizadas fechando as diretrizes para 2010.

Consultores Convidados
Por: Ramon Alves

12 de set de 2009

Gothika - Festival Casarão

Gothika (Foto: Flickr Festival Casarão)

A banda boliviana no festival, pesada e com uma pegada teen não deixou nada a desejar comparada a outras bandas de mais estrada. Vocalista, pequenininha e meiga até, esbanja uma voz potente contrastando suavidade e sentimento com um instrumental pesado e forte. Boas musicas e uma ótima presença de palco, e eu adoro garotas falando em espanhol. A banda juntou público, e não foi pouco não, umas que começaram a abrir a noite.
Por: Luiz Cochi

Veludo Branco - Festival Casarão

Mr. Gonzo e sua Les Paul (Foto: Cátia Burton)

Rock’n Roll setentista que fala de orgias e opalas brancos, na sua terceira apresentação na cidade a banda mostrou que já tem um séquito de fãs e que está na ativa para mostrar como um Power Trio deve ser. Explosivo, furioso e barulhento, a performance de Gonzo com sua Les Paul é um show à parte, desses que faltam em bandas, ou que sobram em outras, apenas distorção, baixo e bateria. Como diz a música: Veludo Branco Rock’n Roll!!!
Por: Luiz Cochi

11 de set de 2009

Mini Box Lunar - Festival Casarão

Heluana e JJ (Foto: Flickr Festival Casarão)

É fácil associar o som da Mini Box Lunar com o que era produzido nos anos 60, musical e visualmente, mas a banda não demonstra só isso. Há ali uma pitada da nova brasilidade mais recente mostrando elementos de Los Hermanos, Pato Fu e outros. Tudo isso com a vibração e loucura dos anos 60, duas vocalistas animadíssimas agitando e botando tudo abaixo num coro afinado. Ótimo!
Por : Luiz Cochi

Di Marco - Festival Casarão

Di Marco (Foto: Mari Camata)

Quis ver como eles se saíam depois de terem se tornado Power trio com a saída de um guitarrista, até fiquei apreensivo, será que ia rolar Di Marco sem o Alemão? E não é que rola, mais crua e mais simples, mas nunca ruim, a banda mostrou competência ao conseguir adaptar as próprias músicas para uma plataforma diferente e sem tirar o clima característico de cada som, cada ritmo e cada toque de guitarra. Mais trabalho pro Rapha Amorim, mas quem disse que trabalho duro não é recompensado no rock, e a recompensa é toda nossa.
Por: Luiz Cochi

Merda Seca - Festival Casarão

Hardcore lendário da cena ragional, a Merda seca sempre consegue angariar o máximo de gente nas sua rodas de pogo, sempre e sempre maiores. Não estando limitados por terem apenas dois integrantes, o batera faz tempos impossíveis, contra tempos infernais e tira graves de todo lado, a guitarra rabo de peixe é ensurdecedoramente rápida e suja, tudo isso com um vocal gritado e bem articulado. Merda Seca é sempre bom.
Por : Luiz Cochi

10 de set de 2009

Porcas Borboletas - Festival Casarão

Porcas Borboletas (Foto: Flickr Festival Casarão)

Rock, poesia, psicodelia e brasilidade, elementos que se juntam a levadas tiradas de Rage Against The Machine e batuques de lata. Um show grandioso onde o público ficava hipnotizado pelas performances dos dois frontmans enquanto uma banda poderosa e coesa dava o território para essa catarse. Difícil não assistir, difícil esquecer, difícil não gostar. Mas eu queria que fosse um show de pelo menos uma hora.
Por: Luiz Cochi

Hey Hey Hey - Festival Casarão

Marcos ''Macca?'' Fonseca (Foto: Flickr Festival Casarão)

A apresentação da Hey Hey Hey no Festival Casarão só comprova aqueles que apontam a clara evolução da banda, que não pára, desde que deixou de ser Fábrica. O show contou com músicas novas, que estarão num futuro EP da banda, como é o caso de 'Não Pare de Fumar', e também com músicas já conhecidas do público rondoniense, como a ótima 'Nem Tudo que Vem de Você é Barulho' e 'Brechó'.
Por: Ramon Alves

Johny Rockstar - Festival Casarão

Johny Rockstar (Foto: Flickr Festival Casarão)

O sonho de todo guitarrista é tocar bem e criativamente, e eles fazem isso. Você que é guitarrista deve saber que não é nada fácil fazer aqueles riffs e solos bem elaborados ainda mais sem soar nostálgico ou técnico demais, e eles também fazem isso. Os shows no Casarão e no Estica foram ótimos, movimentados, quentes e muito enérgicos.
Por: Luiz Cochi

O Melda - Festival Casarão

O Melda ( Foto por: Flickr Festival Casarão)

"Mexe a bunda aê, Mexe o rabo aê" foi o primeiro som que O Melda tocou, O Melda é o nome de uma banda, uma banda de um cara só, mas mesmo assim com seus atrativos. Com o auxilio de notebook para ter as baterias, um capacete com aquele pratinhos de meia-lua pra balançar a cabeça enquanto a batera eletrônica dava uma parada. Com bom humor e até uma homenagem ao The Cramps, ele movimentou, mais uma vez, so-zi-nho, muito mais gente que muita banda com 4 ou 5 caras, apoiado por sua suja e simples guitarra e seu visual maluco.
Por: Luiz Cochi

9 de set de 2009

Lopes - Festival Casarão

Lopes ( Foto por: Flickr Festival Casarão)

O projeto solo Lopes, com a sua nova formação, que tem Rodrigo Lopes assumindo as guitarras, Danilo no Contrabaixo e Rubão na bateria, foi a garantia de uma das maiores rodas punk da noite, durante a música 'Filtro nos Olhos'. Além das letras politizadas e do punk rock característico da banda, o show ainda contou com a participação especial de Santiago no contrabaixo durante a música 'Sou do Garimpo'. Destaque também para 'Senhor Feudal' e o seu marcante refrão.
Por: Ramon Alves

Festa da Ressaca - Toma Cerva Ae Porra!

Vai rolar no Pirata's Pub, no dia 09, a Festa 'Toma Cerva Aí Porra', que vai contar com as bandas TRAP e Cerva Grátis, que dará o pontapé inicial da turnê 'Drink It Cold Tour 2009', que vai passar por Rondônia, Mato Grosso e Minas Gerais.

Toma Cerva Aí Porra
Onde : Pirata's Pub
Quando : 09 de Setembro às 22h
Quanto: R$10
Bandas: TRAP e Cerva Grátis
Por: Ramon Alves

Cerva Grátis - Festival Casarão

Cerva Grátis ( Foto por: Flickr Festival Casarão)

Abrindo o segundo dia de Festival Casarão, a Cerva Grátis apresentou um show com músicas do seu recém-lançado CD, ''Aprecie Sem Moderação". Um show bastante energético, e a banda, mesmo sendo um power trio, não se apequenou diante de um palco maior. Destaque maior para o hit ''Tem Homem Demais'' e para a versão feita para a música ''Um Lugar do Caralho", de Raul Seixas. A banda segue agora em turnê para divulgação do novo disco, passando por Porto Velho, Ji-Paraná, Cuiabá e Uberlândia.
Por: Ramon Alves

7 de set de 2009

Gloom - Festival Casarão

O duo de metais da Gloom (Foto por: Ivan Gabriel)

Vindos de Goiânia o pessoal da Gloom traz alguns elementos bem conhecidos no meio independente, mas outros nem tanto. Caso do duo de metais, enaltecendo e ampliando o som das musicas encaixados perfeitamente nos sambas e ritmos experimentais mais inusitados. Supreendendo por sua presença de palco e qualidade das musicas a banda também nos mostra uma guitarrista ótima, que toca solos à la AC/DC e vai para momentos de calmaria com acordes elaborados. Definitivamente um das melhores apresentações da noite, palco movimentado, publico movimentado e satisfeito e mais uma banda de qualidade na noite de sexta-feira.
Por: Luiz Cochi

Ultmato - Festival Casarão

Ultmato ( Foto por: Ivan Gabriel)
A apresentação da banda Ultimato foi marcada pela presença de duas músicas inéditas, ainda sem nomes, como já prometido pelos integrantes da banda, tendo boa aceitação do público. Como de praxe, o show foi enérgico e intenso, contando com grande interação do público, que compareceu em número reduzido, porém, seleto.
Por: Laís Molitor

Made In Marte - Festival Casarão

Made in Marte ( Foto : Ivan Gabriel)

Para abrir o festival ninguém melhor que eles, a chuva e um pouco da demora no som não estragaram o potencial da banda que retornou depois de um tempo longe dos palcos. Os baixos sempre presentes e relevantes em músicas que denunciavam uma sonoridade moderna com referencias de Joy division a Radiohead sem no entanto entrar em chavões ou cair no óbvio. A guitarra apresentava momentos de suavidade, lógico pois era tocada por um menina, e tensão com o uso de dissonâncias e efeitos, simples e leves, mas que nos desencadeiam momentos de inquietação, complementado por um vocal feminino suave e afinado, fechando um show que esperamos que se repitam mais e melhores vezes.
Por : Luiz Cochi

4 de set de 2009

As Duas Prévias do Festival Casarão

Na última quinta e sexta-feira, dias 02 e 03 de Setembro respectivamente, rolaram as duas Prévias do Festival Casarão, que, contaram com a participação de 6 bandas, entre elas a paraense Johnny Rockstar, e a paraibana Cerva Grátis. Segue abaixo um apanhado geral do que aconteceu nos dois dias de prévia.

02/09 - 1ª Prévia do Festival Casarão

Cerva Grátis
A Primeira Prévia do Festival Casarão foi realizada no Pub Antiquarius, e além da presença das bandas AP-12, Ultmato e Cerva Grátis, cujas apresentações foram garantia de um ótimo evento, o evento também contou com a transmissão em tempo real da WebRádio PVH Caos e com uma mini-banca do Coletivo Mundo, montada pelos integrantes da Cerva Grátis.

03/09 - 2ª Prévia do Festival Casarão

O recado já estava dado do lado de fora do Pirata's Pub
A Segunda Prévia do Festival Casarão, que foi realizado no Pirata’s Pub, foi marcada por um clima de integração gerado pela presença de diversos realizadores de projetos de música independente. Além das bandas, haviam lá produtores, coletivos, webrádios, selos e articuladores da música independente brasileira. O evento foi realizado no teve a participação das bandas TRAP, Bicho du Lodo e Johnny Rockstar (PA).
Por : Ramon Alves

2 de set de 2009

The Miss Jane Hard Rock Club Band!

Outra da série de entrevistas, agora com a banda Miss Jane, entrevistada numa colaboração inédita de Laís Molitor, que atua também no blog do Festival Casarão. Na conversa com a banda, são abordados temas como a nova formação da banda, a apresentação no Grito Rock Cuiabá deste ano, o trabalho com o Raio Q Uparta e a expectativa para o Festival Casarão deste ano. Enjoy!

Esse ano, a Miss Jane já participou da inauguração da Sede Casarão, do Grito Rock Cuiabá, do lançamento do Festival Casarão com Los Porongas, e agora vai participar do X Festival Casarão.

Banda portovelhense de Hard Rock existente desde 2007, a Miss Jane já passou por algumas transformações e atualmente conta com a seguinte formação: Aloísio Spadeto (vocal), Aécio Monte (guitarra), Ramon Alves (baixo) e Victor Benigni (bateria). Aécio e Victor já tocavam juntos em outra banda e chamaram Aloísio pra formar a Miss Jane. Pouco antes do Grito Rock Cuiabá, com a saída do antigo baixista, Ramon foi convidado pra se juntar à banda apenas com o intuito de apoio à apresentação durante o Grito. Acabou que ele ficou permanente na banda, surgindo assim a atual formação da Miss Jane.

Essa mudança de membros é vista pela banda de forma tanto positiva quanto negativa. Positivamente, eles acreditam que a mudança sempre traz energias novas, dá ânimo para os já componentes. Por outro lado, o início é sempre trabalhoso, requer mais desempenho. Como disse Ramon, “O primeiro passo é sempre o mais difícil”.

Outra conseqüência dessa troca de componentes da banda, é a transformação que ela sempre causa. A banda agora se encontra em processo de transição. Trata-se de um aprimoramento no estilo, mas sem deixar de lado o hard rock característico. A sonoridade mais direta, gravações e letras mais elaboradas são algumas das novidades, como disse Ramon: “Geralmente, o Aloísio ou o Victor trazem uma letra, e a gente vai trabalhando em cima da letra, já com algum direcionamento em mente. Ou o contrário, se alguém da banda já chega com alguma idéia de música em mente, a gente separa alguma letra e tenta encaixá-la”.

O novo EP da Miss Jane encontra-se atualmente em fase de pré-produção. A banda está trabalhando nas novas composições para então entrar em estúdio. O EP vai contar somente com músicas novas, inclusive com duas que já foram apresentadas ao público no Lançamento do Festival com Los Porongas. (‘Você e Nada Pra Fazer’ e ‘A Lápide do Passageiro’). O lançamento do EP está programado ainda pro segundo semestre de 2009.

O show considerado pela Miss Jane como mais marcante foi o do Grito Rock Cuiabá, foi a primeira vez que a banda saiu do estado e todos os fatores externos colaboraram. “O show todo foi bom : ambiente, equipamento, resposta do público. Foi bacana”, disse Ramon.

Além do palco, o baixista e o vocalista da banda também contribuem pro desenvolvimento do cenário da música independente atuando no coletivo Raio q u parta (www.raio-q-uparta.blogspot.com). O Raio Q Uparta é um Coletivo Independente de Comunicação de Porto Velho, cujas principais ações são o Blog Raio Q Uparta e a produção de eventos independentes, tendo como exemplo o 'Raio Apresenta: Lançamento do Festival Casarão com Los Porongas'. O Coletivo planeja ainda dar continuidade aos projetos do PodCast (PobreCast) e da WebTV num futuro próximo.

No que diz respeito ao Casarão, a expectativa é de um festival que vai trazer muitas surpresas ao público. “Quanto à Miss Jane, nós estamos preparando um repertório misto, que vai contar com músicas novas, mas também vai contar com músicas mais antigas e conhecidas do público daqui”.

Além do festival, do lançamento de um EP e do plano de participar de um festival fora do estado ainda esse ano, a banda pretende continuar evoluindo e trabalhando sempre. “O mais importante pra nós agora é manter uma pegada constante, em todos os sentidos: composição, gravação, material, apresentações, etc.”. Vamos aguardar e conferir tudo de perto!
Por : Laís Molitor

1 de set de 2009

Made in Marte Abrindo o Casarão com Chave de Ouro

Dando continuidade à série de entrevistas com as bandas que irão participar do Festival Casarão, segue agora a entrevista feita pelo repórter Luiz Cochi com a banda Made In Marte, na qual falam da cena em Rondônia, da nova fase da banda como um power trio, e dos seus projetos atuais e futuros.

A banda portovelhense oriunda da época em que pipocaram bandas interessantes e com propostas diferentes no estado, e também uma das poucas remanescentes, mostrou o diferencial em outras edições de festivais locais e mais recentemente na versão local do Grito Rock. Estes ano eles abrem o Festival Casarão, exatamente como há dois anos atrás, mas desta vez trazem muitas mudanças e uma proposta de desenvolver seu trabalho. Amanda é a atual vocalista e guitarrista da banda e vai nos responder umas perguntas sobre a banda e sobre a cidade.

Bem, eu sei, mas muita gente não sabe: o inicio da Made in Marte por "eles mesmos":
Amanda: Pra mim o início foi tranquilo, praticamente já tinha outra banda, deixei um anúncio em um site de cifras e bandas novas que queria entrar numa banda e recebi resposta, um mês depois começamos a ensaiar.

Nestes últimos dois anos o que mudou, pra melhor e pra pior?
Amanda: Pra pior creio que a dificuldade e a instabilidade dos bateristas que passaram pela banda. Esse têm sido nosso principal problema. De resto acho q foi pra melhor, mesmo com outros infortúnios, como local de ensaio e até falta de equipamento, acho que o som amadureceu e melhorou bastante e para uma banda isso é o que deve importar.


Quais os motivos vocês apontam para estarem fora dos palcos, seria a cena, o publico?
Amanda: Nenhum dos dois. Não é segredo pra ninguém que temos problemas em conseguir uma baterista que se comprometa tanto como a gente (eu e o Diogo) já faz. Mesmo passando mais de um ano sem tocar, continuamos ensaiando esporadicamente e criando coisas novas na medida em que temos tempo.
Diogo Quirino (baixo/vocal)

A banda impressionou a todos em seu breve retorno no grito do rock deste ano, depois vocês deram uma "sumida"...
Amanda: Ficamos sem baterista outra vez. Mas agora estamos ensaiando com o Gabriel (Hey Hey Hey), que nos tem ajudado muito.

O nome da banda continua o mesmo?
Amanda: Sim, porque a gente ainda não acabou a banda. Digo, fizemos mudanças necessárias, mas se for para trocar o nome, aí já seria claro outra banda, outro conceito também.

Que mudanças vocês perceberam através dos anos de banda e há alguma novidade para o Casarão?
Amanda: Além do Gabriel, músicas novas. As músicas mostram toda a mudança. Agora temos mais idéia do que fazer, de como queremos soar. Antes era tudo muito improvisado (o que eu gosto muito também) e simples. Sendo trio também muda muita coisa, a estrutura da banda requer um esforço maior de cada um.
Amanda Ribeiro (guitarra/vocal)

A cena em Rondônia, como vocês a vêem?
Amanda: A cena anda pouco movimentada, antes tinham mais eventos para elas tocarem. Se bem que eram as próprias bandas que faziam. Eu nunca fui muito adepta em movimentar a cena, de coletivos e essas coisas. Acredito que as bandas deveriam se importar mais em fazer músicas e melhorar sua qualidade, e conhecendo seu potencial, elas podem se auto-promover. Mecanismos não faltam pra isso, internet, festa, gravação.

Planos para a banda?
Amanda: Idéias novas, tentar sons diferentes. Gravar um EP também.
Por : Luiz Cochi

Hey Hey Hey! na Edição de Agosto da Rolling Stone

Na edição de Agosto da Revista Rolling Stone, saiu uma menção, pequena mas honrosa, a uma das bandas colaboradoras do coletivo: a Hey Hey Hey!, na coluna Ouça Também, assinada por Leonardo Dias Pereira.